Destruição dos Perpétuos

[quote]Tinha esperança de que você tivesse mudado, meu irmão, que tivesse notado a existência de outras pessoas no mundo. Que você tivesse começado a ver as pessoas como algo além de coisas que sonham. — Destruição dos Perpétuos[/quote]

O Pródigo

Destruição, que refere-se a si mesmo como ‘a ovelha negra da família’, é o Perpétuo que nos traz à conclusão de que talvez eles não sejam realmente necessários. Podemos vencer as dificuldades sem que eles nada façam. Segundo ele, os Perpétuos não têm o direito de interferir com as nossas vidas. Somos capazes de conduzi-las.

Ele tenta ser criativo, como tem mostrado em suas “vidas” longe dos Perpétuos. Um construtor, um artista, um trabalhador, um chefe, Destruição passa todo o seu tempo construindo, ao invés de destruir.

Destruição possui uma sabedoria secular e uma capacidade de raciocínio muito acima do que nós podemos racionalizar. Mesmo sendo um dos mais novos membros da família, é considerado o “grande irmão” por todos. Destruição já não discute mais com sua família. Talvez por isso, viva sempre de mudança.

Os Sem-Fim? Os Perpétuos são apenas padrões. Os Perpétuos são idéias. Os Perpétuos são funções de onda. São motivos repetitivos.”

Nós somos ecos das trevas e nada mais. Não temos direito de brincar com a vida deles, ordenar seus sonhos e desejos. Até mesmo nossas existências são breves e limitadas. Nenhum de nós vai durar mais que esta versão do universo.”

“Cumpri o meu papel mais do que adequadamente por dez bilhões de anos. Uma moeda de dois lados: destruição é necessária. Nada novo pode existir sem a destruição do velho.”

“A destruição não cessou com o abandono do meu reino. Talvez seja mais descontrolado, selvagem. Talvez não. Só não é mais responsabilidade de alguém.”

Conheça melhor os Perpétuos:

SonhoMorteDestinoDestruiçãoDesejoDesesperoDelírio

[hr color=”light-gray” width=”100%” border_width=”1px” ]
[quote]Tenho certeza de que meus domínios ainda estão, a seu modo, do mesmo jeito que deixei. As pessoas e as coisas ainda são criadas, ainda existem, ainda são destruídas. As coisas ainda mudam. A única diferença é que ninguém está regendo o processo. Não depende mais de mim. Depende deles. Eles podem se destruir sozinhos. Não é minha responsabilidade. Não é minha culpa. — Destruição dos Perpétuos[/quote]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *