Cinema – Belas Maldições

No ano de 2000, foi anunciado pela Samuelson Productions e a Renaissance Films o que seria o “sinal verde” para a adaptação ao cinema do livro Belas Maldições (Good Omens), escrito por Terry Pratchett e Neil Gaiman. O único nome confirmado até o momento era o do diretor Terry Gilliam (ex-Monty Python, diretor de Brazil e Os doze macacos). Gilliam daria início às filmagens assim que concluísse The man who killed Don Quixote, na Espanha. Ele mesmo e Tony Grisoni seriam os roteiristas.

Em 2001, o jornal The Chicago Sun Times publicou a notícia que Joseph Fiennes (Shakespeare Apaixonado) e Christopher Lambert (Highlander) assinaram o contrato para interpretar o anjo Aziraphale e o demônio Crowley no filme.

Em 2002, o site Variety informou que Terry Gilliam (foto) finalmente começará a produção de Belas Maldições. O motivo da decisão foi a desistência do diretor em levar adiante seu projeto O homem que matou Dom Quixote, no qual trabalhava há anos, sem sucesso.

Gilliam espera conseguir Johnny Depp (Do Inferno) e Robin Williams (Sociedade dos Poetas Mortos) para interpretar o demônio Crowley e o anjo Aziraphale no filme. A declaração contradiz as notícias publicadas no Chicago Sun Times em novembro de 2001 de que Joseph Fiennes e Christopher Lambert assinaram o contrato para os papéis.

Ainda em 2002, Gaiman anunciou que havia terminado um roteiro para Belas Maldições e está esperando a boa vontade de algum investidor disposto a colocar 15 milhões de dólares junto aos 50 milhões que ele e o diretor Terry Gilliam já conseguiram juntar de financiadores estrangeiros. Numa entrevista ao Slush Factory, Gaiman reclamou que está complicado conseguir a verba para fazer o filme e por isso o roteirista Tony Grisoni já começou a rascunhar uma versão “mais barata”, que custe até 45 milhões.

Em Outubro de 2002, com o anúncio do filme “Os Irmãos Grimm”, dirigido por Gillian, já podemos contar com mais um atraso para Belas Maldições, uma vez que este ainda não tem data definida e que o site Variety afirma não estar nos planos imediatos do diretor.

Só nos resta esperar por um milagre…

Fonte: Omelete

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *